se ideologias forem softwares, que tipo de hardware nós somos?

aqui está o artigo que eu mencionei:

  1. a morte do liberalismo? http://www.nytimes.com/2016/04/14/opinion/the-death-of-liberalism.html

acompanhe meus links recomendados no Pocket: http://usina.com/u/pocket

o google acha que eu falei isso aqui:

Caríssimos Rene de Paula Júnior falando e se tu não que toca no comercial Google é tentando traduzir um texto as coisas que eu falo e centro resultado é muito engraçado Então se explica esse Turu 1 e eu sempre pego essa Tentativa do Google de transcrever a minha fala e coloco lá no no próprio radinho de pilha pontocom primeiro quero fazer o que é legal ter o texto ali também pode ser bom e ser no CS ou mais ciumento que fica às vezes muito engraçado humor involuntário eu na verdade tá enrolando um pouco porque hoje eu vou me aventurar um pouquinho e não me acompanha nessa nessa nessa ousadia porque eu quero sair um pouco da questão de TEC um pouco da questão de digital um pouco da questão de inovação e entrar no território que eu também quero mostrar que não deixa de ser Tec Eu quero entrar no território ideológico

Não não vou fazer aqui nenhuma né nada a ver com o impitimam contra tanto 200 metros a minha posição é claro mas a questão é a seguinte eu hoje de manhã eu assino New York Times E aí tem um amigo chamado assim a morte do liberalismo foi igual vamo nessa história né então antes de comentar sobre o artigo eu vou fazer aqui introdução Ascensão do Triângulo né o que acontece Vamos pensar no mundo Mac e PC tá usando Mac Os caras desenho honrado e desenhe um sócio sistema operacional que roda direitinho feito sob medida para aquele lado a parte física então normalmente as máquinas funcionam bem não tem surpresas Por que os caras fizeram um só fica a pasta de programação que é casada que é feita sob medida pro equipamento físico tá um sonho de produto funciona direitinho no mundo Windows a coisa diferente deles lá de traz o meu jeito de falar eu quero que cada pessoa no mundo tem um computador em cima da mesa e aí como é que ele imaginou se ele imaginou fazer como é bom né fazer um rádio Liberal consórcio Bradesco não olha eu vou fazer um software genérico genérico eu só quero saber os sócios Genérico e Cada um faz o que bem entender e aí gasta livro competição entre os fabricantes de equipamento fez com que os custos baixar Saints e você pode escolher uma máquina topo de linha 1 + vagabundo mas sim de mim tanto faz mas é lógico que nesse mundo embora se tenha permitido uma super expansão nada da Computação pessoal nas coisas não funcionam tão redondas assim porque às vezes o cara faz um rapaz que não conversa tão bem assim consórcio pode dar pala placa de vídeo Bom quem tem PC que sabe como é que você tem aí no toma lá dá cá né Você tem um pouco mais de liberdade e abertura você também tem um paga o preço por isso porque eu tô contando isso porque eu quero colocar e Ação você pode concordar não concordar existem diversas culturas no mundo por culturas em dia como é que quer dizer maneiras de ver a vida maneiras de se dar valor às coisas maneiras de estragar o presente passado Futuro Thales e algumas esculturas a gente pode andar inclusiva organizar o nome de ideologias Você pode ter uma ideologia liberalista Você pode ter uma ideologia socialista totalitária isto seja o que for não é difícil a gente pensar que ideologias e culturas na verdade são softwares na verdade a maneira como é que são programas que rodam no Habbo Habbo é esse corpitcho é o teu cérebro são suas emoções na sua capacidade motiva quer dizer então tô tentando fazer o que um paralelo entre o mundo da informática em que você tem razão em cada radar é capaz de algumas coisas né Só se você pode instalar então caríssimos kennedy paula júnior falando e toronto toca no comercial google é a tentando traduzir texto as coisas que eu falo e sempre resultado é muito engraçado interesse strike cinturão dia sem te pego essa tentativa do google eu quero escrever a minha fala e coloco lá no nosso radinho de pilha pontocom primeiro é o seu nomea

One thought to “se ideologias forem softwares, que tipo de hardware nós somos?”

  1. olá, p4z & b3m. parabens p excelente post! fez-me recordar e, fica a dica, do excelente livro “O sítio da mente: pensamento, emoção e vontade no cérebro humano” do Prof. Dr. Henrique Schützer DEL NERO, lançado em 1997 e que tenho guardado e revisitado sempre desde 1998, quando o adquiri. uma de suas ideias consiste que a mente (software) emerge do cérebro (hardware) do indivíduo, interage com outras mentes, molda relacionamentos, cria cultura e, que, por sua vez retroage sobre esta. o autor chama esta sua tese de “redescrição valorada de atos e percepçoes presumidos” e q o cérebro e sua complexidade poderiam dar conta de muitas situações mas, diante da necessidade de valorá-los, recorre-se a mente e seus produtos tambem complexos. ufa! sugiro a vc que c sua acuracia e desenvoltura leia e comente em um futuro post. []s livr3s,

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.